Quem somos

Tradição e história

Quem mora nas imediações da rua Agostinho Gomes, no conhecido bairro do Ipiranga, já está acostumado com o vai e vem rotineiro de crianças e adolescentes que entram e saem do tradicional Colégio São José dos Padres de Sion. O casarão azul, estilo colonial, é uma das mais antigas paisagens que decora o bairro.

Conceituado pelos habitantes do Ipiranga, o colégio foi fundado exatamente cem anos após a proclamação da Independência do Brasil no dia sete de setembro de 1822, no riacho do Ipiranga. Há alguns metros deste mesmo riacho, em doze de setembro de 1922, padre Arnaldo Dante, religioso da Congregação dos Religiosos de Nossa Senhora de Sion, funda o Colégio São José. A priori, o padre cria uma escolinha paroquial mantida pela Paróquia São José dos Padres de Sion; o objetivo era atender as inúmeras crianças do bairro, todas filhos de simples operários que não tinham a mínima noção do valor e da importância da educação.

Padre Dante, ao passar pelo bairro, via, com preocupação, uma grande quantidade de crianças e adolescentes ociosos brincando ou perambulando pelas ruas do Ipiranga, enquanto seus pais trabalhavam nas fábricas. O religioso    resolve criar uma escola, a primeira do Ipiranga, preocupando-se com o destino dessas crianças, com o intuito de formá-las e garantir-lhes um futuro melhor.

No princípio, os pais nada pagavam, pois pouco lhes sobrava para investir na educação dos filhos, cuja importância eles mesmos desconheciam por não serem também estudados. A escola era, assim, provida integralmente nas suas necessidades pela Paróquia São José dos Padres de Sion, cujo pároco era o próprio padre Dante.

O interessante é observar, em tudo isso, a vocação primeira do Colégio São José, que nasce com o objetivo de promover o ser humano não como uma instituição meramente comercial visando lucros, mas como uma instituição católica cuja principal tarefa é cuidar integralmente das crianças e adolescentes, preparando-os para um futuro melhor.

O empreendimento do generoso padre Dante foi um sucesso. A procura por vagas para estudar crescia a cada início de ano. O salão paroquial, onde funcionava a escola, já não conseguia mais suprir as demandas do bairro. O convento dos padres de Sion, ligado à Igreja, foi, assim, transformando-se no atual Colégio São José dos Padres de Sion, hoje com capacidade para atender 1200 estudantes.

No início dessa mudança de escola paroquial para colégio com sede própria, devido ao excesso de procura, padre Dante decide, então, cobrar uma módica taxa para ajudar a cobrir os custos. No entanto, a preocupação continuara a mesma, prover uma educação de qualidade através da qual os filhos do Ipiranga pudessem ser promovidos. Por algumas décadas, o São José funcionou como o único colégio do bairro do Ipiranga. Por isso, sempre somos visitados, de surpresa, por moradores antigos que, com nostalgia, vêm rever as dependências do colégio e nos contar suas histórias.

Foi o caso do Sr. Eugênio, de 80 anos, filho de militar. Às sete horas da manhã, enquanto recebia os alunos, fui abordado por ele. Perguntou-me se eu era o novo padre do colégio e pediu-me, com lágrimas nos olhos, para entrar. Fiz questão de acompanhá-lo na visita minuciosa. Sr. Eugênio falou-nos como agia o padre Dante, descreveu suas qualidades, sua bondade e disse que sempre que passa em frente do Colégio se emociona. “Vendo todas essas mudanças ainda consigo ver o meu São José, vou parar de falar senão vou chorar”. Relatou o ex-aluno, que tirou fotos conosco e, em seguida, voltou para casa feliz de ter matado a saudade do seu querido São José.

O bairro do Ipiranga, porém, cresceu em todos os sentidos e deixou de abrigar somente operários. Hoje, nele residem pessoas de classes média e média alta. O Colégio São José também evolui com o bairro e se adaptou para trabalhar de forma harmoniosa com as três classes: a classe humilde, a média e a média alta.

Os humildes continuam recebendo uma educação de qualidade, de forma gratuita, por meio de bolsas; e as classes média e média alta nos ajudam, por meio de suaves mensalidades, a atender os custos do colégio. Assim, em vez de sermos um colégio religioso elitista, nos tornamos um colégio religioso humanista e continuamos a manter a nossa vocação primeira que é a promoção integral do ser humano. O fato de nos apresentarmos como um colégio religioso humanista nos diferencia imensamente dos outros colégios particulares do Ipiranga.

Em primeiro lugar, nos esforçamos para não nos tornarmos jamais um mero estabelecimento comercial que vende um produto ao cliente. Isto faz toda diferença no nosso trato com os alunos. Eles não são vistos como números que aportam lucros para a instituição comercial, mas como seres humanos com quem convivemos e nos preocupamos. Eles formam uma família para nós, a família São José a quem queremos dar o melhor.

Em segundo lugar, muda a forma de educar. O Colégio São José não tem medido esforços, nesses últimos cinco anos, para realizar mudanças estruturais, técnicas e pedagógicas a fim de oferecer a nossos alunos uma educação de alto nível capaz de torná-los aptos para disputar vagas nos cursos mais requisitados concorridos. Porém, nossa preocupação não é somente em formar cognitivamente os alunos, preparando-os para os melhores cursos superiores. Nós queremos formá-los integralmente. Queremos colocar na sociedade pessoas com valores humanos, religiosos e cívicos capazes de conviver com o diferente e de respeitar o espaço do outro.

Isto nos dá uma característica própria, porque percebemos que a maioria dos colégios são conteudistas, preocupando-se apenas com a formação intelectual, esquecendo-se que há outras formações a serem alcançadas.

Por fim, primamos na formação de verdadeiros cidadãos, preparados para as boas universidades, para o mercado de trabalho, mas também para o convívio social decente. Esse é o colégio que seu filho merece, por isso eu os convido a fazer parte desta família.

quem-somos-1

Colégio simplesmente sensacional.
Escola limpa, estruturada, colaborador educado e pronto para ajudar. Educação diversificada com trabalhos de pesquisa e de campo.
Estudo no São José já fazem 5 anos, sempre fui bem tratada, a escola é um lugar bonito, limpo. As faxineiras nos tratam muito bem, as tias da cantina também. O padre Manoel é um ótimo homem, faz muito bem seu trabalho e ajuda muito os alunos a serem disciplinados. Todos os professores e empregados do colégio são muito legais, e com uma ótima educação, e além fazerem muito bem seus trabalhos, dão ótimos conselhos aos alunos!